domingo, abril 19, 2009

Ainda que...





Ainda que nem todos estejam fisicamente presentes...

Ainda que a vida nos esteja a levar por caminhos bem diferentes...

Ainda que alguns de nós provavelmente nunca mais nos voltemos a ver...

Fica tudo o que as fotografias nunca hão-de mostrar...

Sempre o gozo de vos reencontrar...

sexta-feira, abril 17, 2009

Ser o melhor vs Ser melhor...


EM NADA ENOBRECE SER O MELHOR...
NÃO BASTA SER BOM...É NECESSÁRIO SER MELHOR!!!

Ao pé de ti...

video

" ao perdoar Deus vai além da Aliança..."

: )

Comunidade...

Com + unidade:
- reconhece-se;
- recebe-se;
- pratica-se;
- cativa-se;
- encoraja-se;
- difunde-se...
... o Centro!
Como uma unidade!!!


Fácil trabalhar em (com)unidade?

quinta-feira, abril 16, 2009

A dificuldade do silêncio...

Gosto do silêncio...particularmente em alguns lugares onde ele devia existir sem condições, como por exemplo, numa biblioteca. Hoje demorei cerca de uma hora a ler um texto que se leria em trinta minutos, nem isso!A cada risada inoportunamente sonora, lá se ia a concentração...e falavam em crepes com não sei o quê, em leitão, favas estufadas, enfim, uma planóplia de alimentos e pratos, ao mesmo tempo que se queixavam que tinham o colesterol alto! Não era só o colesterol, apeteceu-me dizer!!! E volto à leitura...
Viesse a perturbação de outras pessoas e eu até aceitaria melhor, mas vem justamente de quem devia dar o exemplo e de quem manda autoritariamente calar.
Não devo ter estado numa biblioteca...e lá vai outra vez a concentração atrás de uma risada!
Há gente que exige dos outros posturas que não sabe ter. Creio ser um problema cada vez mais nascente, exigir-se sem legitimidade exemplar...exigir-se em primeiro lugar dos outros e depois não há em segundo lugar, porque não se exige de si próprio.
Não voltei à leitura...acabei por vir embora!!! Paciência, fica para a próxima!

quinta-feira, abril 09, 2009

Campo minado...

Para além do que se pode ver, há uns espacinhos neste terreno que mutilam. De salto em salto, vai-se passando e procurando não acertar em cheio na mina, mas as minas parecem ambulantes, fazem questão de se manifestar onde menos é suposto e estão mesmo e sempre ali à espera de um único pé que as faça espanpanantemente triunfar, são certeiras, sabem quem rebentam, procuram pouco, mas desfazem muito. À medida que se avança, dá-se conta de que não resta muito espaço desminado. Os saltos são então mais curtos e cautelosos, até porque as mutilações lembram que só assim pode ser, lembram que só o que dói é que se sabe...
O terreno obriga a parar, a pensar duas, três vezes antes de caminhar, no fundo, convida a que a pessoa que nele ousa sonhar mine os outros, minando-se a si própria...
Espera-se sobreviver... luta-se pela desigualdade! Sim, a leitura é mesmo essa, desigualdade!!!